Japão

Tradução para o português auxilia escola em TOYOTA

Uma escola secundária municipal na província de Aichi, que tem o segundo maior número de estrangeiros no Japão depois de Tokyo, tem prestado assistência linguística por meio de traduções de materiais distribuídos e impressos para o grande número de estudantes estrangeiros e seus pais, muitos dos quais não são fluentes em japonês.

Os estrangeiros representam cerca de 40% do corpo discente da Homi Elementary School, na cidade de Toyota. 

Além das informações relacionadas à vida escolar, a escola também solicitou à polícia que cooperasse e traduzisse informações relacionadas à vida das pessoas. A escola afirma que deseja garantir que tais informações sejam distribuídas de forma justa.

Em 1º de maio de 2018, a província de Aichi tinha 9.100 crianças estrangeiras que precisavam do ensino da língua japonesa, o nível mais alto entre as 47 prefeituras japonesas. Em Toyota, por sua vez, uma área com uma indústria automobilística concentrada, tem muitos trabalhadores estrangeiros. Dos cerca de 320 alunos da Homi Elementary School, cerca de 130 são de nacionalidade estrangeira, sendo que 90% deles falam o português como língua materna.

A escola tem um “Centro de Apoio a Crianças e Alunos Estrangeiros” operado pelo governo municipal, e um funcionário que fala japonês permanentemente ali fornece traduções para o português de todos os avisos e outros materiais distribuídos pela escola sobre festivais esportivos, passeios escolares, excursões e outros eventos semelhantes, juntamente com avisos de PTA.

O Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia citou a escola como exemplo em encontro de estudos sobre o enriquecimento da educação de estrangeiros do ensino fundamental e médio idade escolar.

A diretora Yoko Hirabuki comentou: “Em vez de apenas passar todo o material para o instrutor de língua japonesa e traduzimos de uma forma que seja fácil de entender”. O instrutor também fornece interpretação para alunos que não têm certeza sobre a conversa diária e fica de olho em seus deveres de casa.

O panfleto traduzido também foi distribuído para o conjunto habitacional Kyuban Danchi no bairro Minato de Nagoya, onde vivem muitos residentes de nacionalidade estrangeira. Uma brasileira de 32 anos que mora lá disse com um sorriso: “Me sinto à vontade porque é na minha língua nativa. Se eu entendo, também posso chamar as crianças (para seguir as orientações).”

Hirabuki comentou: “Fazendo com que as pessoas entendam informações importantes em seu próprio idioma, podemos fornecer orientação apropriada para as crianças. Queremos que esses esforços se espalhem entre muitas outras escolas.”

 

Fonte: Mainichi/Ayaka Morita    |    Foto: Mainichi/Ayaka Morita

Japão Aqui e o brasileiro cada vez mais “japonês”. De refugiado econômico a imigrante nipo-brasileiro, fizemos o caminho inverso dos japoneses que atravessaram oceanos após a segunda guerra mundial.

Em 2007 após atingir a marca de 316.000 brasileiros oficialmente residentes no Japão o “Lehman shock” em 2008, esvaziou nossa comunidade em cerca de 140.000 pessoas, nos anos que se seguiram. Hoje em 2019, voltamos a crescer atingindo a marca de 193.798 brasileiros residentes (junho-2018 / Ministry of Internal Affairs and Communications).

Japão Aqui tem bloggers e tradutores com a missão de facilitar o entendimento das notícias japonesas.

Copyright © 2020 MCOM K.K.

To Top