Noticias

SHIZUOKA: Zico recebe homenagens

Ex-jogador do Flamengo, Kashima Antlers e seleção brasileira se encontra com a comunidade brasileira e autoridades locais

Ele se chama Arthur Antunes Coimbra. Mas no mundo do futebol é conhecido por Zico! E no Japão, ele é chamado de Deus do Futebol (Soccer no Kamisama).

Considerado o pai do futebol profissional no Japão, Zico, atual diretor técnico do Kashima Antlers, esteve em Hamamatsu (Shizuoka) no dia 18, para um encontro com as crianças e jovens no Auditório U-Hall, com capacidade para 500 pessoas.

O evento foi uma iniciativa do Consulado do Brasil em Hamamatsu, dedicado ao público infantojuvenil, com foco nas escolas brasileiras da província de Shizuoka, escolas japonesas e escolinhas de futebol da região.

A Escola Mundo de Alegria fez uma apresentação de taiko (tambores japoneses).

Durante suas falas, Zico agradeceu pelas homenagens, disse que o Japão o reconhece até mais que o próprio Brasil, e citou o episódio da tocha olímpica, quando ele foi convidado para carregar a tocha dos Jogos de Tóquio 2020, num trajeto em Kashima, “oportunidade que o meu país e minha cidade (Jogos do Rio de Janeiro 2016) me negaram”.

Zico relembrou seus tempos iniciais no futebol do Japão, disse que antes de firmar contrato com o Kashima Antlers, estivera três vezes no país com o Flamengo e seleção de masters, dessa forma, teve a oportunidade de conhecer os costumes locais e não chegou a estranhar a culinária.

“Para mim não foi complicado não, porque a gente do futebol está acostumado a rodar o mundo, a ir a diversos lugares, conhece novas culturas, alimentação; eu gosto da comida japonesa e como praticamente de tudo”.

Um estudante pediu conselhos ao Zico, de como se tornar um jogador de futebol. Ele disse que “não tem coisa melhor do que fazer aquilo de que gosta, sendo possível. Mas no futebol é importante saber dominar a bola, dar passe e driblar. E o resto é muito treino, procurar melhorar diariamente, igual o cara do violão, ele fica lá quatro horas treinando as notas, o cara do piano também …”

E uma mensagem aos brasileiros: “Àqueles que têm a chance de trabalhar no Japão, um país que oferece as melhores condições, aproveitem essa oportunidade e se dediquem bastante”.

A segunda parte do evento foi um jantar no Museé Yotsuike, para 150 convidados.

Na ocasião, o Cônsul do Brasil em Hamamatsu, Aldemo Garcia lembrou aos convidados que o “Zico no Japão atuou pelo Kashima Antlers de 1991 a 1994, quando deixou definitivamente os gramados. Sua passagem no Japão, junto a outros jogadores famosos já aposentados, é apontada como uma das maiores razões da popularização e profissionalização do futebol no país”.

O Embaixador do Brasil no Japão, Eduardo Saboia, ressaltou que “graças ao Zico, o Brasil é mais conhecido e mais querido no Japão. Zico também é um exemplo para os 210 mil brasileiros que moram no Japão e querem integrar-se ao país que os acolhe. Querem ter as mesmas oportunidades que os imigrantes japoneses tiveram no Brasil. Querem estudar e trabalhar em várias áreas. Preservar e valorizar a herança brasileira e, quem sabe, também jogar futebol no Japão, tão bem quanto o Zico”.

Na ocasião, foi projetado num telão um video oficial do Kashima Antlers com imagens da carreira do Zico. Outro video mostrou depoimentos de amigos do Zico, entre eles: Jayme de Almeida (ex-assistente técnico do Kashima Antlers), Sergio Sapo (ex-técnico da seleção do Japão de futsal), Paulinho McLaren (ex-jogador do Bellmare Hiratsuka), Betinho (ex-jogador do Bellmare Hiratsuka) e Carlos Alberto Santos (ex-jogador do Kashima Antlers e Shimizu S-Pulse) que ressaltou: “Zico, você é o brasileiro que melhor representa a classe dos atletas e dos treinadores profissionais de futebol no mundo e no Japão. Você é a verdadeira bandeira por onde quer que você ande! Que deus continue te abençoando muito ao longo de sua vida”.

Também foi entregue ao Zico uma placa com os seguintes dizeres:

“O Consulado-Geral do Brasil em Hamamatsu, o Conselho de Cidadãos de Hamamatsu e a comunidade brasileira da província de Shizuoka homenageiam com esta placa o ídolo do futebol brasileiro e japonês, Zico, por sua trajetória profissional em benefício da divulgação do futebol no Japão”.

A placa foi assinada pelo Cônsul Aldemo Garcia e por Eber Toyohashi, presidente do Conselho dos Cidadãos de Hamamatsu.

E por último, nas palavras do Cônsul Aldemo Garcia, ele ressaltou que gostaria de “agradecer a colaboração de todos os patrocinadores no evento Zico em Hamamatsu”. Graças a esse apoio, o Consulado do Brasil em Hamamatsu pôde viabilizar o evento em apenas duas semanas. E pudemos mostrar a força da comunidade brasileira em diversas mídias japonesas e brasileiras. Em razão do escasso tempo disponível, uma vez que o Zico tinha que retornar na mesma noite a Kashima, durante o coquetel realizado no Museé, não tivemos tempo para a sessão de fotos com o craque brasileiro, tendo ao fundo o backdrop dos patrocinadores, bem como a leitura dos agradecimentos aos patrocinadores. Porém, reiteramos que o nome dos patrocinadores foi mencionado na primeira parte deste evento, realizado no U-Hall, que contou com ampla cobertura da mídia japonesa e brasileira. Com exceção dos recentes Jogos Olímpicos, acredito que este evento foi o que ganhou mais exposição na imprensa japonesa, com destaque para uma personalidade brasileira”.
Fotos e texto: Osny Arashiro

Japão Aqui e o brasileiro cada vez mais “japonês”. De refugiado econômico a imigrante nipo-brasileiro, fizemos o caminho inverso dos japoneses que atravessaram oceanos após a segunda guerra mundial.

Em 2007 após atingir a marca de 316.000 brasileiros oficialmente residentes no Japão o “Lehman shock” em 2008, esvaziou nossa comunidade em cerca de 140.000 pessoas, nos anos que se seguiram. Hoje em 2019, voltamos a crescer atingindo a marca de 193.798 brasileiros residentes (junho-2018 / Ministry of Internal Affairs and Communications).

Japão Aqui tem bloggers e tradutores com a missão de facilitar o entendimento das notícias japonesas.

Copyright © 2020 MCOM K.K.

To Top