Osny

Minha história com Cecília Keiko

A carismática cantora volta em definitivo para o Brasil e se despede dos amigos em noite de gala no Merry You de Hamamatsu

Lembro muito bem daquele 8 de dezembro de 2008, quando vi Cecília Keiko pela primeira vez. Era o bonenkai da Servitu/Servipan, muitos festejos, karaoke, dança, bingo e vários brindes (foto abaixo).


A certa altura, João Masuko, então diretor-presidente da Servitu/Servipan, chama uma criança ao palco, deveria ter cerca de 10 anos de idade. Ele a presenteou com um CD player e nessa hora testemunhei a felicidade daquela criança e me aproximei dela para confirmar seu nome. Mas me faltou coragem para perguntar sobre sua deficiência visual! (foto abaixo)

Durante quatro anos nunca mais tive notícias da Keiko, mas sua presença marcante sempre ficou em minha lembrança. Então numa tarde de 14 de outubro de 2012, durante o Global Street Festa de Hamamatsu, vi aquela jovem agora com 14 anos, cantando nesse evento. (fotos abaixo).

                      Noemi Massuda, Cecília Keiko e Edna Honda no Global Street Festa de Hamamatsu 2012

Foi quando falei com a mãe Noemi e pedi uma entrevista, para fazer um perfil da Keiko na revista Alternativa. A entrevista foi marcada para a semana seguinte, nas dependências do edifício Create de Hamamatsu. (foto abaixo).

Conheci então mais a fundo a história da Keiko. Ela contou que tem sonhos como qualquer pessoa. “Meu sonho número um é poder enxergar, gostaria de ver o rosto de minha mãe e de todas as pessoas queridas ao meu redor, minha tia, meus amigos. Meu segundo sonho é ser uma cantora profissional; não sei se poderei realizar meu primeiro sonho, mas sei que cantar eu posso conseguir”.

Ao final da entrevista, dei de presente para Keiko meia dúzia de pedras da sorte. Tinha lá quartzo verde, quartzo rosa, onix, ágata, cristal e para cada pedra eu dizia a cor. Mas logo me toquei!! Para que dizer a cor da pedra para Keiko? Então desejei a ela toda a sorte do mundo …

No dia 25 de outubro de 2012, pouco mais de uma semana após essa entrevista, vi pregado na parede da Servitu um cartaz de JOVENS TALENTOS. Era um concurso para revelar novos cantores da comunidade brasileira e a audição seria a dois dias. (foto abaixo)

Então fotografei o cartaz e enviei por mail para a Noemi – mãe da Cecília Keiko. Ela foi ler no dia seguinte, era madrugada de sexta-feira e a audição seria naquele sábado.

Porém, nesse sábado a Keiko teria um evento escolar até as 15h30. E os participantes da audição deveriam estar no local até as 13h00.

Esses contratempos foram todos superados. A Keiko conseguiu sair do evento escolar às 11h30 e os organizadores da audição foram avisados que uma candidata chegaria com um ligeiro atraso.

Keiko chegou com 15 minutos de atraso mas foi aprovada na audição e participaria do concurso no dia 17 de novembro de 2012.

No esperado dia, Keiko chegou com um vestido longo, verde azulado. Pela primeira vez participaria de um concurso para jovens talentos. O Act City de Hamamatsu estava lotado e diante da plateia, Keiko interpretou Someone Like You, da Adele. (foto abaixo)

A plateia aplaudia, gritava seu nome, “já ganhou, já ganhou”. Foi demais para a jovem caloura, que terminou a música muito emocionada, com lágrimas borrando a maquiagem.

A emoção foi ainda maior quando anunciaram seu nome como vencedora. Eu tinha toda a certeza desse mundo que ela venceria. Então, fiquei com a lente da câmera focada na Keiko, para clicar sua emoção ao anunciar seu nome: e a vencedora é… CECILIA KEIKO!!!

Fui logo disparando a câmera, para pegar toda a reação da vencedora! Ao chegar em casa e descarregar as fotos, verifiquei que estavam desfocadas!!! Fiquei mais emocionado que a própria vencedora!!

Já contei essa história mais de 10 vezes, as pessoas riem desse meu amadorismo, mas nunca viram essas fotos! Pois aqui estão elas, na sequência. Se a ideia era registrar a emoção da caloura vencedora, o emocional do fotógrafo também ficou registrado!

Há alguns dias, recebi uma mensagem de voz da Noemi. Ela me convidava para a festa de despedida da Keiko e família, que retornam em definitivo para o Brasil.

“Como você também tem uma longa história com a Keiko, estamos te convidando para essa festa de despedida, agora dia 15 de outubro”, dizia a mensagem!

Estarei lá para ouvi-la cantar, para guardar boas lembranças que ficarão na saudade, dar um abraço e recordar tantos outros momentos, dos churrascos, da viagem ao Monte Omuro, dos karaokes e das fotos desfocadas!

OSNY ARASHIRO – Jornalista, no Japão desde 1995, cobriu Copa do Mundo (França 1998, Japão/Coreia 2002) e 15 Mundiais de Clube. Metaleiro, roqueiro, pagodeiro e outros “eiros” e, claro, Dylaniano/Dylanesco… e Raul Seixas

mail: [email protected]

Japão Aqui e o brasileiro cada vez mais “japonês”. De refugiado econômico a imigrante nipo-brasileiro, fizemos o caminho inverso dos japoneses que atravessaram oceanos após a segunda guerra mundial.

Em 2007 após atingir a marca de 316.000 brasileiros oficialmente residentes no Japão o “Lehman shock” em 2008, esvaziou nossa comunidade em cerca de 140.000 pessoas, nos anos que se seguiram. Hoje em 2019, voltamos a crescer atingindo a marca de 193.798 brasileiros residentes (junho-2018 / Ministry of Internal Affairs and Communications).

Japão Aqui tem bloggers e tradutores com a missão de facilitar o entendimento das notícias japonesas.

Copyright © 2020 MCOM K.K.

To Top