Japão

Mais rigidez contra COVID-19 em 6 províncias

Medidas mais duras contra o novo coronavírus começaram neste domingo (16) em seis prefeituras no Japão, à medida que as infecções continuam aumentando antes dos Jogos Olímpicos, com três em estado de emergência expandido e outros três em quase-emergência.

Hokkaido, Okayama e Hiroshima juntaram-se a Tokyo a cinco outras prefeituras já em estado de emergência até 31 de maio, enquanto uma quase emergência atualmente cobrindo sete prefeituras foi expandida para Gunma, Ishikawa e Kumamoto até 13 de junho.

Tokyo sediará as Olimpíadas a partir de 23 de julho. As preocupações estão crescendo com a disseminação de variantes mais infecciosas do coronavírus e o lento lançamento de vacinas no país.

Em áreas colocadas em estado de emergência, os restaurantes estão sendo instruídos a fechar até as 20h e evitar servir bebidas alcoólicas ou oferecer serviços de karaokê.

As lojas de departamentos e outras grandes instalações comerciais também estão sendo orientadas a fechar temporariamente ou fechar mais cedo, e a participação em shows e eventos esportivos foi limitada a 5.000 ou 50% da capacidade do local.

A mudança ocorre em um momento em que os casos de coronavírus aumentam em todo o país nas últimas semanas, com o número diário de novas infecções chegando a 6.000 pelo quinto dia consecutivo no sábado. Pacientes com sintomas graves da Covid-19 também atingiram outro recorde de 1.231 no mesmo dia.

Quase metade das 47 prefeituras do Japão alcançou o Estágio 4, o pior nível na escala de quatro pontos do governo, para o volume de casos de infecção semanais por 100.000 pessoas.

Osaka liderou a lista com 69,9, seguido por Fukuoka com 67,3 e Hokkaido com 61,5. Osaka e Fukuoka já estão em estado de emergência.

Mas o primeiro-ministro Yoshihide Suga negou a necessidade de declarar o estado de emergência nacional, como sugeriu a Associação Nacional de Governadores, dizendo que o governo tomará medidas direcionadas em áreas específicas.

 

Fonte: Kyodo

Japão Aqui e o brasileiro cada vez mais “japonês”. De refugiado econômico a imigrante nipo-brasileiro, fizemos o caminho inverso dos japoneses que atravessaram oceanos após a segunda guerra mundial.

Em 2007 após atingir a marca de 316.000 brasileiros oficialmente residentes no Japão o “Lehman shock” em 2008, esvaziou nossa comunidade em cerca de 140.000 pessoas, nos anos que se seguiram. Hoje em 2019, voltamos a crescer atingindo a marca de 193.798 brasileiros residentes (junho-2018 / Ministry of Internal Affairs and Communications).

Japão Aqui tem bloggers e tradutores com a missão de facilitar o entendimento das notícias japonesas.

Copyright © 2020 MCOM K.K.

To Top