Japão

COVID-19: Afeta trabalhadores de serviços essenciais

 A operação de instituições médicas, transporte público e outros serviços essenciais está sendo prejudicada pelo aumento de casos de coronavírus em meio à sétima onda de infecções no Japão.

O governo japonês encurtou o período de auto-isolamento para aqueles identificados como contatos próximos de indivíduos infectados de sete para cinco dias, a fim de manter as atividades socio-econômicas, mas a rápida disseminação de infecções tornou difícil prever se isso será tão eficaz quanto pretendido.

Entre todos os serviços postais no Japão, 146 suspenderam as operações em 29 de julho devido a infecções de funcionários e outros.

A JR Kyushu anunciou que um total de 120 trens expressos limitados serão suspensos por 10 dias a partir de 27 de julho.

A escassez de mão de obra também é grave nas instituições médicas.

No hospital de Fukuoka, o número de funcionários infectados e aqueles em contato próximo com pessoas infectadas aumentou acentuadamente desde o início de julho e no final do mês, cerca de 30 funcionários ou 5% do total, estavam ausentes.

FONTE: MAINICHI     /     FOTO: MAINICHI/MEI NAMMO 

Japão Aqui e o brasileiro cada vez mais “japonês”. De refugiado econômico a imigrante nipo-brasileiro, fizemos o caminho inverso dos japoneses que atravessaram oceanos após a segunda guerra mundial.

Em 2007 após atingir a marca de 316.000 brasileiros oficialmente residentes no Japão o “Lehman shock” em 2008, esvaziou nossa comunidade em cerca de 140.000 pessoas, nos anos que se seguiram. Hoje em 2019, voltamos a crescer atingindo a marca de 193.798 brasileiros residentes (junho-2018 / Ministry of Internal Affairs and Communications).

Japão Aqui tem bloggers e tradutores com a missão de facilitar o entendimento das notícias japonesas.

Copyright © 2020 MCOM K.K.

To Top